Voltar atrás
 

O INEVITÁVEL DISCURSO DA DERROTA

Desta vez, os rapazes até se safaram bem, mas da chamada "Geração de Ouro" eram apenas três. E no fim, o fado foi o mesmo de sempre. Mas o que importa, é que o discurso voltou a ser o mesmo. E vai voltar a sê-lo...

De forma a poupar trabalho para o discurso no final do próximo campeonato de futebol, aqui fica o discurso (sempre igual) que vamos ouvir do seleccionador, jogadores ou membro da Federação:

"Saímos de cabeça erguida e penso que o futebol português saíu valorizado, na medida em que praticámos o melhor futebol do torneio.

Portugal merecia ganhar, mas é justo dizê-lo, jogámos contra uma grande equipa: os Campeões do Mundo / os Campeões da Europa / os vencedores dos últimos Jogos Olímpicos / os Vice-Campeões do Mundo / os Vice-Campeões da Europa / os finalistas derrotados dos últimos Jogos Olímpicos (riscar as hipóteses que não interessam).

Acho que o mais importante é que saímos deste torneio de cabeça levantada, e é preciso não esquecer, que este fabuloso plantel encheu de esperança e alegria o coração de todos os portugueses e toda a comunidade emigrante espalhada por esse mundo fora, que trabalha de sol a sol, que depois desta prestação brilhante da selecção nacional, podem afirmar com orgulho que são portugueses!

Foi realmente uma tarde / noite (riscar a hipótese que não interessa) carregada de tristeza e emoção para todos nós... e paciência... fica para a próxima...

Alguém tinha que perder. Calhou-nos a nós. Há que aceitá-lo com dignidade!"
 
 
Publicidade das Berlengas
Cabeça de Pescada © - Todos os direitos reservados