Voltar atrás
 

APANHA DO MACACO DO NARIZ A RECUPERAR

Graças ao tempo seco que se faz sentir actualmente nas Berlengas e com a ajuda das constipações e gripes, os índices de apanha do macaco do nariz, uma das especialidades gastronómicas do país, aumentou de forma significativa nestes últimos dois meses...

 
 

O macaco do nariz que é utilizado em diversas iguarias gastronómicas das Berlengas, voltou a ter índices elevados de apanha nos meses de Novembro e Dezembro, depois do Governo ter feito uma campanha de sensibilização, em que apelou aos cidadãos do país a contribuirem de forma mais activa.

Utilizados para fazer as famosas bolachas das Berlengas ou cozinhados com variados molhos especiais, depois de cozidos em água podre, os macacos do nariz são uma especialidade única em todo o mundo e geram enormes receitas para os cofres do Estado.

Depois da recolha ter descido durante a primavera e no verão, "graças ao tempo seco e frio que se faz sentir no país e com as gripes e constipações, os cidadãos das Berlengas têm produzido mais macacos do nariz, e felizmente têm-nos depositado nos depósitos que existem um pouco por todo o lado", afirmou Martelinho Goma, Director-Geral da Indústria Nacional do Macaco do Nariz.

Para Martelinho Goma, o facto dos valores de apanha do macaco do nariz terem descido durante os 2º e 3º trimestres deste ano, "deve-se à falta de consciência económica dos cidadãos das Berlengas, que em vez de terem depositado os macacos nos depósitos próprios, andaram-nos a comer, como se houvesse fome neste rico país. E mesmo que tivessem, o que felizmente não sucede, temos tanta caganita de gaivota espalhada nas ruas do país".

"Era necessário convencer a população das Berlengas que os macacos do nariz são uma grande fonte de receita para a economia do país, pelo que foi por isso que com a ajuda do Governo, promovemos uma campanha de sensibilização a nível nacional", afirmou Martelinho Goma. A campanha de sensibilzação, que pedia aos cidadãos uma maior contribuição, teve resultados imediatos, pois quem não contribuisse podia ser preso.

 
  Esta página foi visionada pelo Gabinete de Leituras Aconselhadas (GLA), presidida pelo ilustre Presidente das Berlengas, Doutor António da Silva Goma, benfeitor do país e da humanidade.
 
 
Publicidade das Berlengas
Cabeça de Pescada © - Todos os direitos reservados