Voltar atrás
 

Discursos do ilustre e estimado Presidente das Berlengas
DOUTOR ANTÓNIO DA SILVA GOMA

DISCURSO 5

 
 

PARA O PROGRESSO DA NAÇÃO


Soube através do meu gabinete, que os respeitosos cidadãos das Berlengas poderiam ter algumas dúvidas quanto à questão da alteração do reduzido Orçamento de Estado das Berlengas para este ano de 2002.

Reduzido, sim senhor. Diria mais ainda, ou menos, neste caso. O nosso amado país, nesta hora de nascença está nu! Não vos colocarei questões relativas ao frio que o país pode ter nestas condições, nem tão pouco se poderá constipar-se e muito menos se será bonito ou não.

Poderia deitar as culpas para cima do Engº. Guterres, como outros fazem, que nunca em 6 anos de governo investiu um tostão que fosse nas Berlengas. Não sou Juíz nem quero assumir responsabilidades no julgamento de outros, mas se os investimentos nas Berlengas tivessem sido outros, o vosso Presidente não teria sido obrigado a efectuar cortes orçamentais em áreas tão importantes como as Obras Públicas.

Não será certamente do interesse dos cidadãos, saber de que forma são aplicados os dinheiros da nação. Poderão com muita razão, querer saber para onde vão inicialmente, mas maçarem-se com questões absurdas e despropositadas relativas à sua aplicação final, é estar a minar o bem-estar e progresso do país.

As obras públicas deste país serão, sem dúvida alguma, uma necessidade prioritária, mas como podem querer que uma nação progrida, se os seus governantes não tiverem as condições psicológicas e materiais para levarem o barco avante? Poderão pensar que o dinheiro das obras públicas desviado para as minhas prendas de Natal, serão um abuso de poder, mas conseguirá alguém governar sem condições?

Perguntam os meus caros cidadãos, se serão plausíveis os motivos do desvio orçamental. Pois, meus amigos, claro que sim. Certamente que o povo das Berlengas compreenderá que nada sabe sobre como aplicar os dinheiros do país, que o vosso Presidente tão bem sabe gerir.

É do interesse de todos, que o vosso Presidente tenha estabilidade emocional e material, de forma a que com a moral levantada consiga levar este país ao destino incontornável que persegue: a riqueza.

Neste primeiro Natal berlenguense, são necessárias algumas contenções, mas existem necessidades prioritárias, que penso já ter incutido na mente dos meus caros compatriotas. A Nação vai em frente e com uma gestão adequada, todos os objectivos serão atingidos.

A todos os berlenguenses, desejo uma quadra festiva cheia de paz e amor!


Doutor António da Silva Goma - Presidente das Berlengas
 
 
Publicidade das Berlengas
Cabeça de Pescada © - Todos os direitos reservados