Voltar atrás
 

UM POETA À ESPERA DO RECONHECIMENTO

Esta estranha mistura de "poemas" com versos é verdadeira. O autor viu-os publicados num respeitável semanário regional. Tendo em conta a sua qualidade, não se percebe como é que o autor nunca ganhou nenhum prémio literário. Para ler com atenção, do príncipio ao fim...

 
 

DÁ-ME A TUA MÃO MARIA

Numa época já passada
Quando eu tinha energia
Eu diria para a namorada
Dá-me a tua mão Maria

Estando ela a servir
em Lisboa, certo dia
a ela tive que pedir
Dá-me a tua mão Maria

Foi uma grande aventura
Enquanto a patroa dormia
Eu pedi com ternura
Dá-me a tua mão Maria

Um dia passou-se a chover
Estávamos nós na estufa fria
Para ela tive que dizer
Dá-me a tua mão Maria

Num jardim, ao escurecer
refrescando-me de calmaria
P'ra namorada tive que dizer
Dá-me a tua mão Maria

Dá-me a tua mão Maria
flor bela do meu jardim
Que serás rica um dia
Se pensares só em mim

Dá-me a tua mão Maria
Não te faças indiferente
Teus olhos são a luz do dia
Que ilumina muita gente

Que ilumina muita gente
Quer de noite ou de dia
Para eu ficar contente
Dá-me a tua mão Maria

Dá-me a tua mão Maria
Vamos p'rá igreja casar
Minha pele é tão macia
Que vais gostar de apalpar

Para nós será glória
esse acto na sacristia
Para ficar-te na memória
Dá-me a tua mão Maria

Dá-me a tua mão Maria
Deixa-te desse fingimento
Vamos para a Cova da Iria
realizar o nosso casamento

Seguimos depois para Leiria
Num carrinho amarelo
Dá-me a tua mão Maria
Vamos dormir no castelo

Dá-me a tua mão Maria
Vem dormir a meu lado
Vamos amar noite e dia
até um de nós ser sepultado

 

CALDAS DA RAINHA

Caldas da Rainha, linda terra
Que tanta beleza ela encerra
Como poucas há igual
Onde cidade de gente boa
Onde nasceu José Malhôa
O melhor Pintor de Portugal

Caldas tem bons professores
Muitos advogados e doutores
Que trabalham com afinco
Tem bons polícias e guardas
E oficiais de lindas fardas
No Quartel de Infantaria 5

Caldas tem outras belezas
Que são verdadeiras riquezas
Do seu povo trabalhador
Um grande e lindo jardim
De flores e sombras sem fim
O Parque Rainha Dona Leonor

Caldas tem um celeiro
Que vale rios de dinheiro
As muitas toneladas de grão
E ao seu lado encostadinha
Está a moagem da farinha
Para a indústria da panificação

 

 

 

É exigido haver melhores condições...
Nas Berlengas, os WC's e os caixotes de lixo são banhados a ouro.

 
 
Publicidade das Berlengas
Cabeça de Pescada © - Todos os direitos reservados